Ato do dia 24 já é um problema para burguesia

bom vamos lá companheiros o tema da  semana aqui novamente é óbvio né  o ato do dia 24 na imprensa capitalista  na imprensa golpista o ato aparece de  maneira bastante secundário mas não há  dúvida nenhuma analisando os  acontecimentos as reações e tudo mais  que o ato do dia 24 se transformou num  ponto de crise no interior do processo  golpista é devido  logicamente a a magnitude que vem  assumindo a mobilização contra a prisão  do lula  o o tribunal de portalegre é levantou  uma série de problemas foi o presidente  do tribunal fez uma reunião com a casa  em lúcia faz reunião com as forças de  segurança o exército está envolvido  chegar até a informar o absurdo de que  as forças policiais colocaram franco  atiradores nos prédios em e em curitiba  o que é logicamente uma uma tentativa de  intimidação das pessoas que vão para  porto alegre porque corre assim ter de  se colocar um franco atirador porque o  pessoal em baixo vai tá armado e  atirando para o trf também é absurdo é  os desembargadores falaram que foram  ameaçados pela internet o que pode ser  verdade parece também pode não ser  verdade porque a direita tenha usado e  abusado da da perfídia contra a  população e contra as lideranças  populares entre todos  o sucesso do golpe alguns falaram que  estão retirando as famílias de porto  alegre que estão sentindo ameaçados na  sua segurança individual e sessenta e  tal  e logicamente que os jornais tiraram  matérias falando que a a população que  vai a porto alegre campo é violenta está  inclinada ao vandalismo e setenta e tal  bom antes de entrar no mérito dos  argumentos que a gente deve analisar o  importante é chamar a atenção pra o o o  quadro de crise que se estabeleceu qual  é o conteúdo dessa crise com a base  dessa crise é evidente que se montou aí  uma enorme pressão popular contra a  condenação do ex presidente da república  e essa enorme pressão popular coloca em  xeque uma certa medida o plano de alijá  lo das eleições de colocá lo na cadeia  de condená lo definitivamente sempre tal  é a burguesia de um ponto de vista geral  os golpistas  eles sentiram né  é o peso da pressão popular estão  sentindo o peso da pressão popular de  uma maneira bastante intensa nesse  momento não podemos dizer aqui é  importante a gente assinalá que isso é  manifesta  o aprofundamento do que nós já  detectamos com bastante antecedência que  é a inversão da curva na situação  política é o golpe começou procurando  colocar é a população os movimentos  populares todos os movimentos  democráticos a classe operária na  defensiva desfechou um conjunto de  ataques extremamente duros  os trabalhadores e vários outros setores  ea partir de um determinado momento essa  tendência de os golpistas de estarem na  ofensiva ea população de um modo geral  está na defensiva começou a se inverter  nós tivemos várias manifestações se  levássemos a greve geral  nós tivemos uma é um um conjunto de  movimentos que foram revertendo essa  tendência e agora nós chegamos num  momento em que a pressão popular é tão  forte que mostra uma reversão quase que  completa dentro da situação é pelo menos  do estado de ânimo de determinados  setores mais esclarecidos e tal mas  vamos entender não estamos falando de  setores minoritários vão falando do chá  de um movimento de massas  o movimento que começou a tomar corpo na  época da luta contra o impeachment que  refluiu se dispersou em função de uma  política equivocada aquele negócio todo  das diretas e tal e que agora volta é no  seu caminho natural que é a luta contra  o golpe  não vamos nos enganar nenhum momento o  apoio à defesa que esse movimento que  essas pessoas fazem da figura do lula  não é uma coisa que está ligada  exclusivamente está ligada mas não  exclusivamente às qualidades verdadeiras  ou supostas que o movimento vê na figura  do líder do pt  é um movimento é uma forma que assumir  um movimento contra o golpe e uma forma  que esse movimento assumiu que adquiriu  um caráter bastante amplo né e que está  no seu ponto máximo nesse minuto ea  burguesia é reflete esse problema na sua  conduta defensiva diante do da mobília  a ação né isso aqui é muito importante  porque é o que o que nós temos analisado  o que nós num certo sentido nós temos  buscado desde o começo do golpe foi que  a mobilização popular ela adquire se um  tal vulto que começasse a despertar as  camadas mais amplas da classe operária  da população e nós estamos nós chegamos  de novo nesse ponto é que nós já vimos  atingido em grau menor no passado e  dessa vez nós chegamos num ponto em que  essa mobilização assumir esse ponto  crítico  só que de uma maneira mais intensa e  mais ampla  se nós compararmos a mobilização atual  tanto em tamanho como em radicalização  com as mobilizações anteriores da época  do impeachment onde ela atingiu o seu  ponto mais alto nós vamos ver com  bastante facilidade que essa mobilização  é muito mais abrangente abrange muito  mais setores e que ela é muito mais  radical o radicalismo pode ser visto na  hostilidade bastante intensa que a  mobilização demonstra contra a direita  o pessoal ontem por exemplo para  ilustrar esse  nesse caso o mbl que é um instrumento aí  pago contratado financiado e mani  utilizado diretamente pelos golpistas né  movimento financiado do estrangeiro por  empresários norte-americanos em frei por  empresários brasileiros também  eles foram até a casa do lula para fazer  uma manifestação na manifestação lá  contar o lixo leco é aquela parafernália  toda deles uma manifestação surpresa  hora que o pessoal jobs e ouviu estava  tendo essa manifestação  foram para lá e botar o iml para acorrer  imediatamente puxar o tapete leco não  sei se confiscaram pessoa que fizer mas  é foi estranho foi fulminante reação  quem acompanhou a mobilização do  impeachment deve se lembrar que houve  outros momentos em que o pessoal foi pra  casa do lula teve manifestação da coisa  não foi assim tão curta e grossa  houve manifestações na paulistas na  paulista onde os setores mais  organizados não queriam se confrontar  com a ideia neste momento tudo isso  desapareceu  é evidente que o pessoal está muito  revoltado que há uma revolta intensa  contra tudo o que está acontecendo e  isso daí tem manifestações concretas não  é uma análise da psicologia popular é  uma análise dos fatos que estão  acontecendo  a manifestação em porto alegre tem de  ser uma manifestação muito grande não  dirigentes do pt estão prevendo 50 mil  pessoas que pode o número para quem está  acostumado com os exageros da imprensa  pode não parecer muito mas é uma senhora  a manifestação em porto alegre quer  dizer tem gente de todo o brasil se  reúnem em porto alegre e é capaz que  tenha mais de 50 mil pessoas da maneira  como nós estamos vendo que a mobilização  intensa tem gente que quer ir para porto  alegre de todos os lugares do país  é uma coisa muito impressionante não  podemos até dizer nada e isso daqui  serve pra uma uma parte posterior da  análise que o a defesa do lula já  adquiriu assim o ou está adquirindo né  se esboçando vamos ver para ser mais  preciso  como as grandes mobilizações populares  que nós temos no brasil como por exemplo  manifestações pelas diretas já e outras  manifestações enormes fora collor e tal  quer dizer manifestações de massa  que vão condicionar completamente a  situação política nacional  então nós temos uma crise muito grande  os golpistas apesar de que eles não  recuo milímetros da intenção de condenar  eventualmente prender tirar da eleição  lula e muitas outras coisas que eles têm  em stock né a caixa de ferramenta dos  golpistas ela é bem abrangente  eles estão nesse momento pisando em ovos  isso é muito óbvio  quer dizer ele precisa manobrar com a  situação precisam ver uma maneira de  diluir essa manifestação é dispersar  esse movimento que está se concentrando  novamente da luta contra o golpe na  figura do ex-presidente para poder  voltar a adquirir um certo controle  sobre a situação política e por isso a  manifestação é o problema chave da  situação política neste momento a  manifestação logicamente que ela pode  ter muitos desdobramentos e lama à  medida em que ela se transforma num  movimento de massas né  ela também adquire um caráter  imprevisível quanto maior o movimento  mas ele tem vida própria e tudo vai  depender de como essas massas vão  interpretar os acontecimentos é os  juízes falam que os manifestantes estão  indo para porto alegre com 18 de  depredar e tal  isso daí logicamente que não é fato não  tem nenhuma orientação no sentido de  prender nada mas a reação popular a  determinados atos arbitrários é  imprevisível  é assim que as coisas acontecem se você  tem uma revolução por exemplo né começa  com uma reação popular que escapa de  todo tipo de  controle que adquire vida própria contra  determinados atos que são vistos pela  população como atos extremamente  arbitrárias  então nós estamos um pouco aí num nesse  terreno né  vamos ver o tamanho da manifestação  vamos ver a disposição que já é patente  desde antes que a disposição é uma  disposição muito combativa e vamos ver o  que acontece é a principal questão neste  momento é acompanhar o desdobramento do  ato e analisar a própria dimensão dos  protestos e satelital ver qual é o o  tamanho que elas vão adquirir ea a  personalidade que elas vão mostrar  diante desses acontecimentos  então não certo sentido a nossa  preocupação em termos de análise da  situação política é ver o que vai  acontecer no dia 24 de janeiro no dia 25  de janeiro  quer dizer no dia imediatamente  posterior nós temos várias  possibilidades